Atualidades

Radiação de Fukushima chega as praias da Califórnia


A Radiação de Fukushima atingiu a costa da Califórnia. Isto foi confirmado por oficiais do condado em Half Moon Bay, Califórnia, que realizou testes de radiação e encontrou um aumento de 500% na radiação nas praias de lá.

O alarme foi levantado ao longo dos últimos dias, graças a vídeos amadores que mostram leituras alarmantes do contador Geiger nas praias.

Os vídeos seguem outras notícias alarmantes do mês passado em que estrelas do mar foram misteriosamente se desintegrando ao longo da Costa Oeste, uma tendência que ainda não foi ligado a qualquer causa, escreve o Half Moon Bay Review.

 Já foi confirmado que a Tepco do Japão mentiu sobre as leituras de radiação nas usinas de energia nuclear de Fukushima. Lançamentos de radiação eram reais, tanto quanto 18 vezes maior do que o “oficial”, relata.

É agora amplamente considerado por especialistas nucleares que elementos radioativos como o césio-137 entraram na cadeia alimentar no Oceano Pacífico e já começaram a chegar às margens do Califórnia. Isso significa que mariscos capturados no Oceano Pacífico devem agora ser testados para radiação.

 

ALIMENTOS TESTE DE RADIAÇÃO EM FUKUSHIMA.

Radiação de Fukushima 1
Radiação de Fukushima 1

O Radioativo césio-137 é o elemento mais perigoso encontrado em alimentos em conseqüência de catástrofes nucleares ou armas nucleares. O Césio-137 tem uma meia-vida de 30 anos, e ele persiste em solos 200 -. 300 anos. O Césio-137 imita o potássio na planta e na biologia humana, por isso vai a toda parte que vai o potássio (ou seja, cada célula de seu corpo).

Testar diretamente os alimentos para radioativo césio-137 é extremamente difícil com espectroscopia atômica porque Césio-137 tem a mesma massa atômica como bário. Assim, instrumentação espectroscopia atômica é incapaz de distinguir entre os dois.

No entanto, analistas combinaram a análise de espectroscopia atômica com bancada de laboratório com graus cronometrados de radiação e metros de decaimento para chegar a uma metodologia de alta precisão que pode determinar tanto a nível atual de um alimento com radioatividade, bem como afinidade natural desse alimento para a absorção do elemento Césio.

O “perfil de radioatividade” de uma substância alimentar está agora testando produtos como peixes capturados a partir do Oceano Pacífico para a sua radioatividade e perfis de afinidade ao césio. Os resultados serão publicados e disponibilizados.

Além disso, o pesquisador Adams também está à procura através de centenas de plantas e substâncias alimentares para identificar substâncias que têm forte afinidade iônica de átomos de césio.

Esta pesquisa está em andamento, e os resultados serão publicados. Já foi documentado o fato de que a Spirulina havaiano tem uma altíssima afinidade com urânio, capturando mais de 89% do urânio livre nos testes de simulação de digestão.

A capacidade de Spirulina havaiana para urânio-238 é de 15,2, ou seja, cada grama de Spirulina havaiana liga com 15,2 microgramas de urânio.

A afinidade de Spirulina para o Césio, no entanto, foi bem menor, com um MCC de apenas 2,6. “Estamos confiantes de que podemos identificar outras substâncias alimentares com maior afinidade para o Césio, mas a busca é tedioso e caro”, explicou Adams.

Para manter-se atualizado sobre a busca de substâncias de ligação ao césio, fique atento. Postaremos em breve mais notícias sobre a Radiação em Fukushima.

Fonte: Natural News

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *