Atualidades

SENTIR – A Chave da Criação Deliberada


Criamos quando sentimos, e não quando pensamos, precisamos aprender a SENTIR.  O pensamento é o primeiro passo porém a criação da nossa realidade se dá quando após pensarmos incluímos nesse pensamento uma vibração positiva ou negativa e SENTIMOS aquele pensamento como realidade.

É assim mesmo, nós obtemos as coisas pela forma como sentimos, e não tentando encaixar tudo no lugar ou controlando as nossas mentes com o nosso pensamento.

Todos os acidentes de viação, todas as promoções no emprego, os bons ou péssimos amantes, todas as contas bancárias, sejam avultadas ou escassas, vêm até nós pela mais elementar das leis da física: os semelhantes se atraem.

E uma vez que a maioria das pessoas não sente grande entusiasmo com a forma em que viveu durante boa parte da sua vida, tornamo-nos mestres extremamente hábeis na arte de atrair uma superabundância de circunstancias que preferíamos não ter.

SENTIR
SENTIR

Você quer um carro novo? Aí está! Quer ser bem sucedido ou trabalhar por conta própria? Aí está! Quer fechar aquele negocio? Ganhar mais dinheiro? Ter um relacionamento mais agradável? Viver sem medo? Ter uma vida espiritual preenchida? Ter uma excelente saúde, liberdade, independência? Aí está, se souber como sentir isso irá acontecer.

Na Lei da Atração, os semelhantes atraem-se isso é absoluto, e não tem nada a ver com a personalidade. Ninguém está além do alcance dessa lei, pois é a lei do Universo.

O que acontece é que, até há pouco tempo, não nos tínhamos apercebido de que a lei também se aplica a nós.

 

Sentir dentro da alma

É esta a lei que está por trás do sucesso ou do desastre. É o que causa os desgostos ou os desastres mortais. É, até certo ponto, aquilo que governa cada momento das nossas vidas.

Sendo assim, se quisermos dar uma reviravolta na nossa vida ou gozar de mais abastança, ou de mais saúde, ou segurança, ou felicidade de qualquer tipo, temos de aprender os passos simples para manipular o nosso “sentir”, e um mundo novo de abundância estará ao nosso dispor.

 

Ensinaram-nos ao Contrário

A maioria de nós não faz a mínima idéia de como conseguimos obter o que temos na vida.

Em primeiro lugar há aquela longa lista de coisas que queremos e nunca conseguimos, nem esperamos obter dia algum.

Depois, segue-se aquela lista ainda mais longa de todas as coisas que não queremos, e no entanto parecemos ir obtendo com uma regularidade frustrante do nosso dia a dia.

Ninguém é culpado por este contínuo desencantamento. É que fomos ensinados ao contrário.

Provavelmente, a coisa mais destrutiva que algum dia nos ensinaram foi que a vida nasce de uma serie de circunstancias que nos são servidas numa bandeja gigante chamada Acaso, ou Destino, que começam logo pelos pais que nos geraram e o ambiente em que crescemos.

Se nascêssemos ricos, tínhamos um golpe de sorte. Se nascêssemos pobres, lutar pela vida seria o nosso destino mais provável. Se encontrássemos a felicidade, era pelo dileto toque da Sorte. Se um idiota bêbado batesse contra nós numa rodovia, era o triste destino.

Ensinaram-nos que devemos dar valor ao trabalho, que a palavra mágica é ação. Fazer, fazer, fazer; trabalhar, trabalhar, trabalhar, esforçar-se, suar a camisa, e no fim, se tivermos sorte, talvez consigamos ser os primeiros.

Fomos ensinados por pessoas mais velhas, bem intencionadas mas também elas foram mal orientadas e ensinaram-nos a sermos cautelosos e prudentes. “Não suba na árvore, você vai cair”. “Não veste esta coisa ridícula que vão rir de você”. “Não te esqueças de trancar as portas, ou serás assaltado”.

Tornamo-nos uma espécie tão defensiva, que toda a nossa vida se desenrola em torno de crenças temerosas como: Ter Cuidado, Ser Cauteloso, Estar São e Salvo. Desgraçados de nós se alguma vez deixássemos cair essa guarda!

Mas o maior obstáculo para que vivamos o nosso potencial vem desde o tempo em quem ainda éramos bebê, nos ensinaram a procurar o que está errado – em tudo! No nosso emprego, no nosso carro, nos nossos relacionamentos, na nossa roupa, na nossa silhueta, na nossa saúde, nas nossas auto-estradas, no nosso planeta, na nossa fé, nos nossos divertimentos, com os nossos filhos, o nosso governo, até com nossos amigos.

E no entanto, grande parte do mundo nem sequer consegue chegar a um acordo sobre o que é certo ou errado, por isso fazemos guerras, e greves, e manifestações, fazemos as leis, e vamos ao psiquiatra.

“É a vida”, dizemos. Temos de aceitar o que é bom e o que é mau, os momentos bons e os ruins. Temos de estar alerta, trabalhar arduamente, fazer as coisas como devem ser, estar atentos e esperar uma oportunidade. Sim, “assim é a vida”.

 

Não, não e NÃO.

A verdadeira Vida pura e simplesmente não é assim, e já é tempo de entendermos o modo como realmente criamos aquilo que temos no mundo, as nossas contas bancárias avultadas ou escassas, os nossos empregos excelentes ou aborrecidos, a nossa boa ou má sorte, e todo o resto nesta arena a que tão impassivelmente chamamos realidade.

E de que modo o fazemos? Não se ria; vem tudo da forma…como vibramos!

Quer você acredite ou não, criamos a nossa realidade através da vibração que emitimos para o Universo. Dessa forma é muito importante estarmos atentos a como vibramos (se positivo ou negativo), pois será isso mesmo que receberemos como resposta.

Uma vez que semelhante atrai semelhante, temos de ater aos nossos pensamentos e sentimentos, porque é assim mesmo que começamos a criar o nosso mundo.

Essa é a chave para a criação “SENTIR”, Escolha bem como vibrar os seus sentimentos e o universo irá colocar diante de você o mais rápido, aquilo em que você está focado.

               

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *