web analytics

A Prata Coloidal


Publicidade

A mais de 90 anos atrás, médicos e profissionais de saúde descobriram as propriedades desinfetante e germicida da prata coloidal. Confirmou-se a sua eficácia como um agente natural, antibiótico, antiviral e antifúngica. Durante os últimos anos, uma série de livros e artigos tem aparecido para o público sobre o tema da prata coloidal.

O aparecimento destes materiais, há alguns anos foi a primeira onda de educação pública sobre a prata coloidal.

Hoje, algumas empresas vendem várias marcas de prata coloidal.

Um dos fenômenos favoráveis é o aparecimento dos dispositivos que permitem às pessoas fazer a sua própria prata coloidal. Neste momento, a indústria caseira de geradores de prata coloidal está começando a penetrar no mercado. Isso está começando a causar alarme vários lugares. Um grande fabricante comercial de prata coloidal emitiu recentemente um comunicado de alerta aos seus clientes, alertando-os para os perigos da “qualidade inferior” de prata coloidal feitas por esses dispositivos.

 

Grandes meios de comunicação também tentam assustar o público colocando-o longe da prata coloidal, mostrando uma pessoa de pele azul que “sofre” de Argiria, uma condição estética causada pelo acúmulo de compostos de prata sob a pele.

Com todos estes desenvolvimentos, não é preciso ser um cientista para ver que toda a situação em torno de prata coloidal está esquentando!

A finalidade deste artigo é aumentar o nível de conhecimento público a um maior grau de precisão. Conhecimento é poder, e o público precisa saber a verdade sobre a prata coloidal.

A primeira coisa que as pessoas precisam saber é que existem pelo menos quatro diferentes produtos no mercado que está sendo chamado de prata coloidal.

O primeiro tipo de produto é o tipo clássico, original, normalmente chamado de “prata eletro-coloidal.” Este produto é feito através do “electro-arco” método em água deionizada, ou pela “baixa tensão eletrólise” método em água destilada.

Prata 1000

Prata 1000

Este produto é geralmente encontrada em concentrações entre 3-5 ppm (partes por milhão), mas por vezes pode ser tão elevada como 100 ppm.

Adequadamente feita, este produto é constituído por partículas microscópicas de prata pura suspensa em água, sem outros elementos presentes. Cada partícula de prata carrega uma carga elétrica positiva. A prata coloidal feita desta forma parece ou amarelo-claro ou transparente.

O segundo é chamado de “proteína de prata suave.” Este produto liga quimicamente partículas microscópicas de prata a uma molécula de proteína. Encontra-se geralmente em concentrações entre 20-40 ppm. Sua aparência pode ser transparente, claro ou âmbar.

O terceiro são os “sais de prata.” Estes produtos podem ser feitos quer quimicamente ou electro-química e geralmente, se cria uma forma de prata que se dissolve na água. As concentrações variam entre 50-500 ppm. Sua aparência é transparente ou clara.

As partículas de prata transportam uma carga elétrica positiva, mas quase invariavelmente, estes produtos contêm outros elementos ou outros compostos de prata.

O quarto é por vezes referido como “prata em pó.” Este produto foi desenvolvido pelos russos e é feito quando um fio de prata pura é rapidamente desintegrado por uma descarga elétrica de alta voltagem, semelhante a uma lâmpada de flash fotográfico. O pó de prata microscópico é recolhido e dissolvido em água ou adicionados a pomadas e cremes para uso tópico. As concentrações variam 100-500 ppm.

Todos esses produtos funcionam, em um grau ou outro, como um germicida de amplo espectro, porque todos eles contêm partículas microscópicas de prata.

 

Dito isto, é importante entender uma série de coisas sobre a prata coloidal:

1) Todos esses produtos não são “suspensões coloidais” de prata.

2) Estes produtos não se comportam do mesmo modo no corpo ou em testes de laboratório.

3) A eficácia e posologia varia de produto para produto.

4) Qualidade varia de produto para produto e de lote para lote com o mesmo produto.

5) Não são todos uniformemente seguros e não tóxicos.

Não há padrões da indústria que os fabricantes voluntariamente seguem para assegurar o controle de qualidade e não há nenhuma regulamentação governamental da indústria.

Por outro lado, há milhões e milhões de usuários satisfeitos com a prata coloidal que gostariam de ter acesso contínuo e gratuito ao produto, e um número crescente de fabricantes entram no mercado com uma ampla variedade de novos produtos.

Os fatores críticos que fazem um “bom” produto de prata coloidal são: O tamanho das partículas, a pureza, a concentração, e o custo. A única maneira de determinar com autoridade os três primeiros é por análise laboratorial.

A melhor maneira de determinar o tamanho das partículas é através do microscópio. A melhor maneira de determinar a pureza é, por espectroscopia de massa ou por análise de raios x . A melhor maneira de determinar a concentração é por análise química do total de sólidos dissolvidos.

 

Fazendo sua própria Prata Coloidal

Prata Coloidal

Prata Coloidal

A maneira mais simples de controlar esses fatores é fazer a prata coloidal você mesmo. Ao fazer isso, você não vai saber exatamente o que está lá a menos que você faça testes de laboratório, mas você terá uma idéia muito boa.

Você acabará fazendo a verdadeira prata “coloidal”, que é o produto referido na maior parte da literatura.

Se você já está fazendo sua própria prata coloidal, por favor, preste atenção especial a esta seção porque muitas das informações que você tem até agora podem estar incorretas.

A maneira mais simples de fazer a verdadeira prata coloidal em casa é pelo método de “baixa tensão de eletrólise”. Algumas baterias podem ser ligadas a dois eletrodos de prata e colocadas num copo de água.

Este processo irá fazer com que partículas pequenas de prata sejam sintetizadas para fora dos eletrodos e se liguem à água. Este método aparentemente simples é muito fácil fazer.

 

Ela está na água

Quando você mesmo for fazer a sua Prata Coloidal é muito importante controlar a pureza da água, porque a pureza da água é um dos fatores que controlam quão pequenas as partículas de prata serão.

 

Apenas água de alta qualidade e destilada deve ser usada.

Você não deve usar água purificada ou filtrada, pois elas ainda contem muitos minerais dissolvidos. Não é possível utilizar água deionizada, porque não conduzem eletricidade suficientemente bem para iniciar a reação.

A água destilada é simplesmente perfeita para iniciar a reação lenta e deixar conduzir o processo corretamente.

Outra variável que influencia o tamanho das partículas é a temperatura da água. A água quente torna mais rápida a reação que irá acontecer, tornando menores as partículas.
Por favor, evite o sal

Nunca adicione nada à água que vai usar. Nunca adicione sal, sal marinho, ou qualquer sal porque o sal coloca íons de cloreto na água que reage com a prata para formar cloreto de prata. Este problema sério surge quando você esta fazendo prata coloidal com sal na água.

A presença de sal aumenta a condutividade elétrica da água e esta dramaticamente acelera a reação. À medida que a reação acelera sob estas circunstâncias, produz partículas maiores.

O produto produzido é invariavelmente turvo, branco na aparência. Fotografias de microscópio de elétrons deste material mostram partículas de prata na gama de .05 a 0,15 mícron. Estas partículas são demasiado grandes para formar uma suspensão coloidal, e a prova é que o material irá assentar no fundo do recipiente em um período muito curto de tempo.

Por conseguinte, esta ” prata coloidal” caseira pode ser perigosa para consumir internamente por duas razões: a presença de cloreto de prata e a produção de partículas grandes.

 

O melhor ainda está para vir

A tensão melhor para a reação é de 30 volts, porque os eletrodos executam o trabalho mais limpo nesta tensão. Se você tem uma pequena fonte de alimentação, configure-a para 30 volts. Se você estiver trabalhando com baterias, o melhor é começar em 36 volts (três baterias de 12 volts ou quatro pilhas de 9 volts).

Quando 30 volts são aplicados através dos elétrodos de prata e mantidos separados uniformemente em água destilada, um evento totalmente diferente acontece.

Em primeiro lugar, a reação prossegue muito lentamente. Muitas vezes, durante os primeiros 15 minutos nada parece estar acontecendo. Então, finalmente, uma névoa tênue amarela começará a se formar. Dentro de alguns minutos, a reação irá acelerar, mas as partículas produzidas serão um amarelo-ouro como visualizado com uma lanterna.

 

“A Cor Amarela”

Houve uma quantidade de controvérsia na literatura pública sobre a aparência da cor “amarela”. Uns montes de pessoas bem-intencionadas já me disseram que “o amarelo é ruim”, “prata não é amarela”, “amarelo é a contaminação de enxofre”, “amarelo é a contaminação de ferro”, e muitas outras coisas.

“A contínua mudança na cor do amarelo ao azul corresponde a uma mudança na absorção máxima do mais curto para o prolongamento da onda de comprimentos, com um grau decrescente de dispersão. Este é um fenômeno geral na química coloidal ilustrando a relação entre a cor e o grau de dispersão.

 

O frasco de vidro âmbar

Depois de ter se dado ao trabalho de fazer as partículas de prata coloidal tão pequenos quanto .001 mícron, é importante protegê-las. As partículas devem ficar longe de outro produto em suspensão, pois cada um tem uma carga elétrica positiva (+) e essas “cargas” se repelem mutuamente.




 

Evite Guardá-la próximo de aparelhos de microondas e computadores.

Tudo o que pode mudar esta carga entre as partículas irá degradar a qualidade da prata coloidal por um processo chamado re-coagulação, onde as partículas se aglomeram novamente para formar agregados maiores. A luz ultravioleta do sol e muitos plásticos podem causar esse processo.

Portanto, a prata coloidal é melhor armazenada em recipientes escuros, vidro. Os dois tipos de recipiente de vidro que são adequados para isso são a âmbar escuro e o azul de cobalto.
A mesma diferença

O maior “segredo” sobre a fabricação de prata coloidal de alta qualidade é que é quase impossível de se padronizar o produto. A Prata é, aparentemente, reativa a uma série de forças naturais que ainda precisam ser identificados.

Mesmo quando a tensão, a água, e a temperatura da água são idênticas, poderão ter lotes diferentes em dias diferentes.

A velocidade da reação pode variar em mais de 100%, dependendo do dia. Em dias “normais” , a reação prossegue muito bem por 15 minutos, com uma nuvem de partículas visíveis. Em “dias lentos” Pode demorar 30 minutos antes de qualquer produção visível de partículas amarelas.

Devido a essa variação, é sempre bom observar a reação com uma lanterna B para que você possa ver o quão rapidamente a reação está acontecendo. Uma vez que a nuvem amarela começa está se formando o lote por mais 5 minutos. Esta é a melhor maneira de padronizar a sua prata coloidal fabricada em casa.
Pureza de prata

A qualidade do seu produto final depende inteiramente da pureza da água e da pureza da prata que você utilizar. Você deverá usar 99,9% de prata pura. Em uma amostra de 10 ppm de prata coloidal que enviada para análise total (feito com eletrodos de prata 99,9%), as impurezas principais encontrados foram:
1) de sódio, 470 ppb,
2) de cálcio, 260 ppb,
3) de manganês, 70 ppb,
4) potássio, magnésio 50 ppb.
Como nenhuma dessas impurezas pode ter vindo da prata, se sugere que a pureza da água deve ser a maior preocupação para a pessoa que faz a sua própria prata coloidal.

 

Concentração

A concentração de prata na água é geralmente medida em partes por milhão, ou ppm. Quando um laboratório testa a prata coloidal para a concentração, eles relatam os resultados em miligramas por litro (mg / L). Miligramas por litro é uma medição real de peso por volume, e portanto, é uma medição de quantidade real.

No sistema métrico, um litro de água pesa 1000 gramas, e um miligrama (1/1000) de um grama, de modo que 1 mg / L é o mesmo que 1 ppm, enquanto que estamos a falar de água. A Prata pesa um pouco mais que água, mas a equivalência é muito perto, e os termos são freqüentemente usados como sinônimos.

Com isto em mente, podemos calcular que uma colher de chá de 5 ppm de prata coloidal tem cerca de 30 mcg (microgramas) de prata na mesma.

 

Dosagem

Em 1940, RA Kehoe relatou que em circunstâncias normais, o consumo médio diário de frutas e verduras que proporcionam entre 50-100 mcg de prata como um elemento de traço.

Desde aquela época, os solos agrícolas comerciais deste país tornaram-se extremamente deficiente em minerais. Apesar de eu não ter figuras de autoridade para a prata, de acordo com o Relatório de Cúpula da Terra, publicado em 1992, os níveis de minerais do solo com base na América do Norte caíram mais de 85% nos últimos 100 anos.

Assumindo que a dieta dos nossos antepassados usado para conter prata, e que a nossa dieta, provavelmente, reduziu enormemente esses níveis, há um argumento razoável para completar com prata coloidal.

Duas colheres de chá de 5 de prata coloidal ppm fornece cerca de 50 mcg de prata e pode ser considerado um valor “nutritivo”, se tomado diariamente.

Qualquer valor acima de quatro colheres de chá por dia ou 100 mcg deve ser considerado um montante “terapêutico”. Dito isto, não deve ser assumido que a Prata coloidal é equivalente a, ou tem o mesmo efeito metabólico como se fosse recebido traços de prata a partir de fontes vegetais dietéticas.

Mas como há muito poucas fontes vegetais com traço de prata disponível hoje, a prata coloidal é provavelmente o melhor substituto. Se você quiser experimentar com a tomada de prata coloidal por um período prolongado de tempo, isso deve ficar dentro dos valores considerados nutricionais.

Se você quiser experimentar com doses maiores, deve fazer isso com cautela, e apenas por um dia ou dois de cada vez.

 

Segurança e Toxicidade

Quanto menor a partícula, menor a probabilidade de se comportar como uma toxina. Normalmente, a pior reação tóxica de prata metálica, citados na literatura médica, é uma condição chamada Argiria.

Argiria é primariamente uma condição caracterizada por uma descoloração permanente tornando apele azulada . Argiria não causa desconforto físico, e não tem quaisquer outros efeitos secundários conhecidos. Sua pele só fica cinza-azulada.

Na verdade, o termo “sangue azul”, em referência às famílias reais da Europa, provavelmente se refere a uma condição, leve argirial causada pela ingestão constante de alimentos a partir de talheres de prata.

É interessante notar, no entanto, que nunca houve um caso de Argiria relatado a partir do uso de prata coloidal, desde que seja livre de sais ou outras impurezas.

Argiria, embora não sendo uma condição mortal, é certamente indesejável. É geralmente causada pela ingestão maciça de sais de prata, tais como nitrato de prata, sulfato de prata, e cloreto de prata.

 

Eficácia

Num estudo feito, em parte, pelo Instituto de Microbiologia em Roma, Itália, várias formas de prata foram testadas quanto à sua capacidade de matar os microrganismos. A Prata coloidal, o nitrato de prata, cloreto de prata, e sulfadiazina de prata como um germicida de largo espectro.

Para todas as classes de bactérias, fungos, e amostras de molde testados, a prata coloidal funcionou melhor, e em concentrações muito mais baixas. Eles concluíram que quaisquer aditivos reduziram a eficácia da prata pura, os sais de prata sendo tanto como 100 vezes menos eficaz.

Eficácia da prata coloidal, tal como um germicida de amplo espectro está diretamente relacionada com o número e o tamanho das partículas.

 

Os Reguladores

Enquanto a prata tem sido demonstrada ser um germicida muito eficaz, matando bactérias gram-negativas e gram-positivas, leveduras, bolores, e os vírus em experiências de laboratório, isto não significa que ele irá invariavelmente curar condições de doença no corpo causada por estes organismos.

A prata coloidal é um complemento fantástico para a casa, mas é de nenhuma maneira um “cura-tudo”. O maior obstáculo ao uso de prata coloidal como um “remédio caseiro” é a falta de informação no domínio público sobre como usá-lo efetivamente em qualquer situação.

A FDA testou prata coloidal extensivamente e descobriram que diferentes micro-organismos sucumbiram a sua ação em uma ampla variedade de concentrações e tempos de exposição.

Se nenhuma destas informações entrou no domínio público, a FDA iria considerar as suas próprias pesquisas “infundadas alegações médicas” e razão suficiente para classificar a prata coloidal como uma “nova droga”. A “nova droga” classificação seria “necessária”, porque “protocolos de uso de novos” foram desenvolvidos que não existia antes de 1938.

Aqui é um exemplo do problema. É estimado que uma em cada quatro mulheres irá desenvolver câncer da mama em sua vida. Falei com duas mulheres que afirmam ter se curado de câncer de mama com prata coloidal. Ambas foram diagnosticadas por biópsia.

Após o diagnóstico, usaram 2 colheres de chá de prata coloidal por dia até a sua cirurgia. Uma tomou um produto caseiro, o outro tomou um produto de proteína de prata. Em ambos os casos, a biópsia do tecido da mama e os linfonodos foram removidos livre do câncer.

A questão é, será que a prata coloidal trabalharia muito bem para todos os casos de câncer de mama? Provavelmente não, mas no atual ambiente legal e político, talvez nunca saibamos.

Nenhuma empresa farmacêutica pode controlar ou monopolizar a posse de prata coloidal, de modo que nenhum deles jamais financiará os testes, que atualmente custam mais de US $ 10 milhões e duram uns 10 anos.

A FDA diz que se você alegar que Prata coloidal cura o câncer de mama, seria classificado como uma nova droga, e ao público não pode ser dado acesso a novos medicamentos sem testes apropriados.

Embora estas idéias não são novas para alguns de nós, seria uma revelação surpreendente se uma grande parte da população começasse a pensar desta forma. A FDA certamente gostaria de evitar isso “relações públicas” embaraço.

A prata coloidal tem claramente algumas capacidades extraordinárias e centenas de usos legítimos. Mas, sem padronização e controle de qualidade, o público nunca vai saber a melhor forma de utilizar a prata coloidal em uma dada situação.

FDA pode ainda tentar restringir o acesso público à prata coloidal, alegando que não é seguro, mesmo que eles saibam como “seguro e eficaz” pode ser, quando utilizado corretamente. Na ausência de liberação destes dados de testes oficiais, o público é deixado apenas experimentando e tateando pelas respostas.

A grande luta sobre o acesso do público à prata coloidal pode ser iminente, pois o custo dos cuidados de saúde neste país está fora de controle, e o público está à procura de soluções baratas que funcionam. Nesse sentido, a prata coloidal poderia ser “exatamente o que o médico ordenou.”

 

Interações digestivos.

A prata coloidal é, aparentemente, capaz de matar quase todos os microrganismos, incluindo a “flora amigável” que seu sistema digestivo precisa para o bom funcionamento. Falei com centenas de pessoas que tomaram a prata coloidal em uma base diária e não tenho notado problemas digestivos, mesmo após o uso prolongado.

Eu também tenho falado com dois indivíduos que relataram problemas digestivos após tomar a prata coloidal uma vez. Então, na minha experiência, o problema da flora amigável é possível, mas raro.

Há certo número de estratégias que podem reduzir a probabilidade de interações digestivas. O mais simples é manter a prata coloidal em sua boca por 30 segundos antes de engolir. Isto promove uma absorção da prata coloidal primeiro pela mucosa da boca evitando o trato digestivo.

 

Outra estratégia é tomar doses menores, várias vezes por dia, ou com as refeições.

Procure se informar cada vez mais sobre o uso da Prata Coloidal. Cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém. Observe sempre as doses e a forma de fabricação da sua Prata Coloidal.










One comment »

  1. Sem Nome 9 de fevereiro de 2014 às 21:36 -


    Excelente postagem! Parabéns!
    De fato a prata coloidal fortalece o sistema imunológico e tem muitas aplicações.
    Pesquisem mais sobre isso na internet é interessante saber.

Deixe seu Comentário »