web analytics

Lisossomos

     

Os lisossomos são organelas delimitadas que são encontrados no citoplasma de células de plantas e animais.

A palavra lisossomo era derivada de duas palavras gregas, “lise”, que significa destruição ou dissolução e “soma”, que significa ‘corpo’.

Lisossomos foram descobertos em 1949, por um citologista belga, Christian de Duve. O corpo humano é composto de 50 a 75 trilhões de células. A célula é a menor unidade de vida e é muitas vezes chamada de bloco de construção da vida.

Uma única célula é composta de muitas organelas diferentes, que têm funções específicas, tais como o núcleo, os órgãos de Golgi, mitocôndrias, peroxissomos e lisossomos. Neste artigo, vamos aprender sobre a estrutura do lisossomo, sua função e sua importância na célula. Os lisossomos são realmente sacos membranosos cheios de enzimas. Eles são encontrados em todas as células eucarióticas e age como “lixo” ou “digestor” da célula.

 

ESTRUTURA DOS LISOSSOMOS

Lisossomos

Lisossomos

Lisossomos são esféricos como saco de estruturas que estão ligados por uma membrana de única camada, no entanto, a forma e o tamanho do lisossomo podem variar até certo ponto, em diferentes organismos. O tamanho varia entre 0,1 a 1.2μm.

A membrana que envolve o lisossomo, protege o resto da célula de enzimas hidrolíticas ou digestivas contidas nos lisossomos.

Os lisossomos são fabricados pelo aparelho de Golgi, por brotamento, e as várias enzimas digestivas, que estão presentes nos lisossomos são produzidas no retículo endoplasmático.

Essas enzimas são, então, transportadas para o complexo de Golgi e são distribuídas aos lisossomos. Alguns exemplos de enzimas presentes nos lisossomos incluem nucleases, proteases, lipases e carboidrases.

Estas enzimas são utilizadas para dissolver os ácidos nucléicos, proteínas, lipídios e carboidratos, respectivamente. Todas essas enzimas são tipicamente hidrolíticas capazes de digerir macromoléculas celulares.

Os lisossomos são ácidos, com pH de 4,8. Este pH ácido é mantido pelo bombeamento de prótons, a partir do citosol que tem um pH de 7,2. Os prótons são bombeados através da membrana por bombas de prótons e os canais de íon cloreto.

A membrana, portanto, age como uma barreira protetora, que protege o citoplasma e o resto da célula de enzimas hidrolíticas no lisossomo.

 

FUNÇÃO DOS LISOSSOMOS

Os lisossomos atuam como sistema de eliminação da célula. Eles quebram as proteínas complexas, carboidratos, lipídeos e outras macromoléculas em compostos mais simples.

Estes compostos simples são retornados para o citoplasma e são utilizados como materiais de construção da nova célula. Eles são usados para a digestão de resíduos celulares, células mortas ou material extracelular, tais como os micróbios invasores, que representam uma ameaça para a célula pelo processo de fagocitose.

No entanto, a fagocitose é apenas um processo que ajuda a livrar-se de material indesejado. Os lisossomos também estão envolvidos em outros processos digestivos, incluindo a endocitose e autofagia.

Outra função interessante dos lisossomos é a de reparar o dano à membrana plasmática. Eles servem como remendo de membrana e ajudam na vedação do ferimento na membrana plasmática.

Os lisossomos também estão envolvidos na morte celular programada, ou autólise, que é um processo catabólico que envolve a degradação de componentes da própria célula.

Esta é a razão pela qual os lisossomos são freqüentemente chamados de “bolsas suicidas”.

 

DEFEITOS

O mau funcionamento dos lisossomos ou qualquer das proteínas digestivas resultam em doenças de depósito lisossômico, como a doença de Tay-Sachs e a doença de Pompe.

Estas doenças são causadas por falta de função dos lisossomos ou, na ausência de qualquer uma das proteínas digestivas ou enzimas hidrolíticas lisossomais.





Deixe seu Comentário »