web analytics

Doenças do Sistema Linfático


Publicidade

O sistema linfático é uma rede de tecidos e órgãos, que constitui uma parte importante do sistema imunológico do corpo.

Qualquer anomalia ou inflamação da rede complexa pode levar a diversas doenças ou distúrbios do sistema linfático.

DOENÇAS DO SISTEMA LINFÁTICO

O sistema linfático é composto por vasos linfáticos, ele é considerado o segundo sistema circulatório do corpo. O sistema circula em torno do corpo através dos vasos linfáticos (que são diferentes dos vasos sanguíneos) e gânglios linfáticos.

Basicamente contém os glóbulos brancos que defendem o organismo contra germes e infecções. Os linfonodos são ovais ou em forma de feijão do grupo de tecidos que estão localizados ao longo dos vasos linfáticos e abundantemente encontrados no pescoço, axilas, virilha e em torno de grandes vasos sanguíneos no abdômen e no peito.

Trata-se dos gânglios linfáticos, onde estes glóbulos brancos (produzido pela medula óssea e timo) combatem as infecções e que melhoram o sistema imunológico do corpo.

POSIÇÕES E FUNÇÕES.

 

FUNÇÕES DO SISTEMA LINFÁTICO

Doenças do Sistema Linfático

Doenças do Sistema Linfático

 A principal função do sistema linfático é manter o equilíbrio de líquidos e proteínas no organismo. Como viaja o sangue através das artérias e veias, quase 10% do líquido filtrado pelos capilares, juntamente com as proteínas, fica preso nos tecidos do corpo.

Essa perda de líquido, rapidamente se torna fatal se o sistema linfático não coletar esse líquido e devolvê-lo ao sistema circulatório.

Com a rede de vasos e gânglios que o transporta contendo antibióticos e glóbulos brancos, o sistema linfático é considerado a primeira linha de defesa contra as infecções ou doenças de microrganismos invasores.

Os vasos linfáticos na mucosa do trato gastrointestinal absorvem as gorduras dos alimentos e os impactos transtornos como a obesidade excessiva, diabetes, etc, causadas pelo acúmulo anormal de gordura e carboidratos e no metabolismo.

 

DOENÇAS DO SISTEMA LINFÁTICO

O sistema linfático, como em outras partes do corpo, é também suscetível a uma variedade de doenças e distúrbios que são dadas abaixo:

 

LINFEDEMA:

Um dos mais prevalentes distúrbios linfáticos é a insuficiência linfática, ou linfedema, que ocorre devido a um acúmulo de fluido linfático no tecido intersticial. Isso resulta em inchaço nos braços, pernas e às vezes em outras partes do corpo.

A gravidade desta doença varia de complicações extremamente leves para uma desfigurante, infecção dolorosa e celulite profunda na pele.

Se não for tratada, a pele torna-se eventualmente de fibrose (espessamento da pele e tecidos subcutâneos), com perda da estrutura normal, funcionalidade e mobilidade.

 

OS DOIS TIPOS DE LINFEDEMA SÃO:

 

LINFEDEMA PRIMÁRIO:

É uma condição hereditária que ocorre devido à dificuldade ou falta de vasos linfáticos. Ela afeta de um a até quatro membros e até mesmo outras partes do corpo, inclusive órgãos internos.

Pode apresentar no nascimento, se desenvolver com o início da puberdade ou ocorrer na idade adulta, sem causas aparentes.

 

LINFEDEMA SECUNDÁRIO:

A desordem é basicamente adquirida, que ocorre devido a algum trauma, infecção ou cirurgia que interrompe os vasos linfáticos ou resulta na perda dos gânglios linfáticos.

 

FILARIOSE:

A filariose é outro distúrbio do sistema linfático que ocorre a partir de uma infecção parasitária causando insuficiência linfática e, em alguns casos predispõe elefantíase (espessamento da pele e tecidos subjacentes, especialmente nas pernas, órgão genital masculino e seios femininos).

 

LINFOMA:

Linfoma é um termo médico utilizado para um grupo de cânceres que se originam no sistema linfático.

Os linfomas geralmente começam com a transformação maligna dos linfócitos (células brancas do sangue) nos gânglios linfáticos ou um punhado de tecido linfático em órgãos como o estômago ou intestinos.

Linfoma de Hodgkin e linfoma não-Hodgkin são duas grandes categorias de Linfoma, que se caracteriza pelo aumento dos gânglios linfáticos, geralmente presente na região do pescoço.

Os sintomas do linfoma principalmente incluem fadiga crônica, a função imune baixa, perda de peso, suores noturnos e dor após o consumo de álcool.

 

LINFADENOPATIA:

linfadenopatia é um distúrbio linfático em que os linfonodos tornam-se inchados ou aumentados, devido a uma infecção. Por exemplo, inchaço dos gânglios linfáticos no pescoço pode ocorrer como resultado de uma infecção na garganta.

 

LINFADENITE:

Também conhecido como adenite, linfadenite é a inflamação do nó de linfa devido a uma infecção bacteriana do tecido no nó causando inchaço, vermelhidão e sensibilidade da pele que cobre o nó de linfa.

 

ESPLENOMEGALIA:

Esplenomegalia ou baço é outro distúrbio do sistema linfático, que se desenvolve devido a uma infecção viral, como mononucleose.

 

AMIGDALITE:

De muitos outros distúrbios do sistema linfático, amigdalite é outra doença causada por uma infecção das amígdalas, os tecidos linfoides presentes no fundo da boca, na parte superior da garganta.

Esses tecidos linfoides ajudam a filtrar as bactérias e, quando infectados, tornam-se inchado e inflamado, levando a uma dor de garganta, febre e dificuldade e dor ao engolir.

 

HIV/AIDS E DOENÇAS INFLAMATÓRIAS e doenças auto-imunes como a artrite reumatoide, lúpus eritematoso sistêmico (LES), esclerodermia, granulomatose de Wegener, etc, são diretamente afetadas pelo sistema linfático.

Assim, a insuficiência linfática dos órgãos internos e estilos de vida não saudáveis podem eventualmente levar a qualquer uma das referidas doenças do sistema linfático.

 

Autor: Antônio Ventura  – Em: Biologia & Vida

Você pode usar este conteúdo no seu website para ajudar a difundir esse conhecimento. Tudo que nós pedimos é que você coloque um link de volta para nós na página onde você está incluindo esse artigo.
















6 Comments »

  1. Otilia 26 de abril de 2016 às 4:04 -


    Sou portadora de uma asma iosinofilica com valores muito altos.No momento ao minimo esforço vem a tosse e falta de ar,o que me tem debilitado muito.

  2. Rafaela 2 de janeiro de 2016 às 11:23 -


    Caramba, Curti pra caramba os pensamentos do artigo! Adorei o Blog!

  3. antonionventura 11 de agosto de 2011 às 15:58 -


    Ana.

    Só o seu médico que acompanha o seu caso poderá lhe dar essa resposta.

  4. antonionventura 11 de agosto de 2011 às 15:52 -


    Teresa.

    O seu médico será a pessoa mais indicada para determinar quais exames serão necessário para um diagnóstico correto.

    Abraço.

  5. teresinha melo 11 de agosto de 2011 às 8:07 -


    Achei muito bom o comentario,só faltou que tipo de exames devemos fazer para saber se é doença benigma ou maligna,como por exemplo:câncer.

    obrigada

  6. ANA PAULA 10 de agosto de 2011 às 13:13 -


    Tenho linfedema primario cid I089 pode evoluir para linfoma?