Biologia & Vida

Transpiração das Plantas


Transpiração envolve perda de vapor de água da parte aérea da planta. O processo de transpiração das plantas é crucial para a absorção de água e nutrientes minerais do solo. Ela controla indiretamente a ingestão de dióxido de carbono para a fotossíntese.

A transpiração é um importante processo fisiológico em plantas, pelo qual ocorre perda de água pelas aberturas dos estômatos.

Estoma (estômatos singular) são minúsculos poros presentes nas folhas, caule, raízes e flores. Na maioria das espécies de plantas, o número de estômatos é maior na parte inferior da folha.

Eles são estruturas essenciais para a troca de gases e de umidade entre as plantas e seu ambiente. Além da perda de água para o ambiente, várias funções da planta estão associadas com o processo de transpiração. Quando você estudar a estrutura detalhada de um estômato, você vai ler sobre as células-guarda que regulam a abertura e o fechamento dos estômatos.

 

Transpiração das Plantas
Transpiração das Plantas

Definitivamente, a transpiração ocorre quando os estômatos estão abertos. Então, o que controla a abertura e fechamento dos estômatos? A pressão hidrostática de partes de plantas superiores e de umidade do solo em conjunto desempenha um papel importante na abertura dos estômatos.

Quando há presença de água no solo, as raízes ocupam as moléculas de água do solo por meio de osmose, durante o qual os nutrientes essenciais vegetais também são absorvidos.

A água e os minerais são passados para as partes da planta superior. Como o estoma recebe as moléculas de água, as células guardam-se flácidas, resultando na abertura dos poros. Água da planta é, então, perdida pela transpiração (método de difusão).

Depois de perder água, as células voltam ao estado normal e as aberturas dos estômatos são fechadas.

 

IMPORTÂNCIA DA TRANSPIRAÇÃO EM PLANTAS

Estudos botânicos descobriram que a transpiração é importante para a sobrevivência da planta. É crucial para a absorção de nutrientes do meio de solo e controle de fotossíntese (o mais importante para a troca de oxigênio e dióxido de carbono).

Em suma, as plantas transpiram e perdem água para tirar o dióxido de carbono da atmosfera.

A transpiração é benéfica para a manutenção da temperatura da instalação e manutenção das plantas em condições de frio/ quente. A taxa de transpiração das plantas e número de estômatos é proporcional entre si.

A quantidade de perda de água pela transpiração depende da temperatura atmosférica, intensidade de luz, umidade, vento, água do solo e do tamanho da planta. Alega-se que a quantidade máxima de água absorvida pelas raízes é perdida através da transpiração.

Apenas 1 por cento da água absorvida é utilizada para o crescimento e o desenvolvimento das plantas.

Como todos sabem, cactos e outras plantas do deserto possuem certas características adaptativas, que lhes permite prosperar em períodos de seca prolongada. Uma das adaptações é a presença de menor número de estômatos, estômatos afundados e pequenas estruturas estomáticas (em algumas espécies).

Seja qual for o caso, a perda de água pela transpiração é bastante reduzida. Se este não for o caso, é bastante provável que as plantas do deserto não possam sobreviver no solo seco e em condições de alta temperatura atmosférica.

Por último, mas não menos importante a transpiração e a evaporação são aspectos importantes na manutenção do ciclo da água. No que diz respeito à reciclagem de água, o processo de evaporação e transpiração é coletivamente chamado evapotranspiração.

Aproximadamente 10 por cento da umidade atmosférica é aportado por processo de transpiração.

               

2 comments


  1. Gostei, acho que o texto melhorou a minha compreensão no diz respeito a importância da transpiração das plantas.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *