Doenças e Enfermidades

Coqueluche e seus sintomas


A Coqueluche (também conhecida como tosse convulsiva) é uma infecção do sistema respiratório causada pela bactéria Bordetella pertussis.

É caracterizada por períodos severos de tosse que pode terminar em um som “coqueluche” quando a pessoa inala transmissores infectados.

Com o número de surtos notificados de tosse convulsa em ascensão nos diz que há uma necessidade de proteger os adolescentes e adultos, bem como as crianças, contra esta infecção respiratória altamente contagiosa.

Geralmente considerada como uma doença de infância, coqueluche realmente afeta pessoas de todas as idades. Além disso, a doença tem sido cada vez mais relatada entre os adolescentes e adultos nos últimos anos. Isto é importante porque aqueles que têm a tosse pode não perceber que eles têm a tosse convulsa e pode ser a principal fonte de infecção para crianças, que têm o maior risco de morrer da doença.A causa da doença é uma infecção com bactérias. A bactéria que provoca a tosse convulsa é chamada Bordetella pertussis (B. pertussis).

 

COMO A COQUELUCHE É TRANSMITIDA?

Coqueluche e seus sintomas
Coqueluche e seus sintomas

As bactérias coqueluche são espalhadas através do contato direto com secreções respiratórias de uma pessoa infectada. Elas podem ser transmitidas através do ar ou por tocar uma superfície contaminada.

A tosse convulsa é uma infecção altamente contagiosa. Uma pessoa é mais propensa a transmitir a bactéria que causa coqueluche quando eles estão a sentir os sintomas, especialmente durante as primeiras três semanas.

 

 

PERÍODO DE INCUBAÇÃO

Quando uma pessoa é infectada com Bordetella pertussis, as bactérias começam multiplicando dentro dos pulmões. O período entre a infecção e o aparecimento dos sintomas é chamado de período de incubação.

O período de incubação coqueluche é geralmente 7 a 10 dias, com um intervalo de 4 a 21 dias, e raramente podem ser tão longos quanto 42 dias.

 

SINTOMAS DA COQUELUCHE

Uma vez que os sintomas começam a tosse convulsiva, há geralmente três fases da doença. Durante a primeira fase, os sintomas mais comuns são como um resfriado ou gripe e podem incluir:

* Espirros.
* Coriza.
* Congestão nasal.
* Febre ligeira.
* Tosse seca que pode piorar durante a noite.

Ao contrário de um resfriado, os sintomas de tosse convulsa pioram dentro de duas semanas. Os sintomas mais comuns durante a próxima fase pode incluir:

* Acessos de tosse.
* Episódios de tosse intensa que pode terminar em um som “coqueluche” quando a pessoa inala estando infectada.
* Tosse intensa que leva ao vômito, o que pode tornar difícil para uma pessoa para comer ou beber.
* Pele de viragem azul durante episódios de tosse.

Na última fase, os sintomas melhoram gradualmente, desaparecendo dentro de duas a três semanas. No entanto, acessos de tosse, muitas vezes voltam com outras infecções respiratórias durante muitos meses após os sintomas melhorarem.

 

COMPLICAÇÕES ASSOCIADAS À TOSSE CONVULSIVA

As complicações da tosse convulsiva é uma grande preocupação quando a pessoa desenvolve os sintomas de tosse, principalmente em crianças menores de 12 meses de idade.

 

COMPLICAÇÕES DA TOSSE CONVULSIVA PODEM INCLUIR:

* Infecção do ouvido médio (otite média).
* Dificuldade em respirar.
* Menos oxigênio no sangue (hipoxia).
* Pneumonia.
* Convulsões.
* Encefalopatia.
* Desnutrição.
* Morte.

 

COMO É FEITO O DIAGNÓSTICO?

A fim de fazer um diagnóstico, o médico irá fazer uma série de perguntas, realizar um exame físico, e (em alguns casos) recomendam alguns testes.

Como parte do diagnóstico de tosse convulsa, o médico também irá afastar outras causas de possíveis sintomas de tosse convulsa, como o resfriado comum, gripe e bronquite.

Se você ou seu filho é considerado de alto risco para ter a tosse convulsa, seu médico pode recomendar determinados testes de laboratório. Os exames laboratoriais podem diagnosticar a tosse convulsa e serem úteis em lactentes jovens, casos atípicos e casos modificados por vacina contra coqueluche.

 

OS TESTES QUE PODEM SER USADOS PARA AJUDAR A FAZER UM DIAGNÓSTICO INCLUEM:

* Cotonete.
* Nariz ou da garganta.
* Os exames de sangue.

 

OPÇÕES DE TRATAMENTO

O tratamento da tosse convulsa normalmente envolve antibióticos e cuidados de suporte, que consiste em alívio dos sintomas e complicações como o organismo combata a infecção.

O tratamento preventivo também é recomendado para qualquer um que entre em contato íntimo com a pessoa infectada.

Pessoas com tosse convulsa são aconselhadas a evitar o contato com outras pessoas, especialmente crianças e as crianças.

 

VACINA

Embora não exista uma proteção ao longo da vida contra a tosse convulsa, a imunização pela vacina da coqueluche é a melhor medida de prevenção da tosse convulsa disponíveis. As vacinas estão disponíveis para crianças até 7 anos de idade, e para adultos.

As vacinas para adolescente e adultos (Adacel ® e Boostrix ®) têm os mesmos componentes da vacina para lactentes e crianças jovens, mas em quantidades reduzidas.

 

BEBÊS E COQUELUCHE

Crianças com idade de 12 meses, normalmente tornam-se mais gravemente doentes, como resultado da tosse convulsa, e são mais propensos a terem complicações e a serem hospitalizados do que as pessoas em outras faixas etárias.

 

ADULTOS E COQUELUCHE

Muitas pessoas acreditam que a coqueluche é uma doença que só afeta bebês e crianças. O fato é que, coqueluche em adultos são responsáveis por mais da metade dos casos de coqueluche nos últimos anos.

 

HISTÓRIA

Surtos de coqueluche foram descritos pela primeira vez no século XVI, e do organismo foi isolado pela primeira vez em 1906.

No século XX, a tosse convulsa foi uma das doenças mais comuns na infância e uma das principais causas de mortalidade infantil nos Estados Unidos. Antes da disponibilidade de vacina contra coqueluche na década de 1940, mais de 200.000 casos de coqueluche foram notificados anualmente.

Como a utilização generalizada da vacina a incidência de tosse convulsa diminuiu em mais de 80 por cento em comparação com a era pré-vacinal.

 

ESTATÍSTICAS SOBRE A COQUELUCHE

A tosse convulsa continua a ser um grave problema de saúde entre as crianças nos países em desenvolvimento, com uma estimativa de 285.000 mortes decorrentes da doença em 2001.

Nos Estados Unidos, uns totais de 25.827 casos foram notificados em 2004, o maior número desde 1959.

Durante 2001 a 2003, a maior incidência média anual de tosse convulsa foi entre crianças menores de um ano de idade (55,2 casos por 100.000 habitantes) e, particularmente entre crianças menores de seis meses de idade (população de 98,2 por 100.000).

Em 2002, 24 por cento de todos os casos de tosse convulsa estavam nessa faixa etária.

No entanto, nos últimos anos, os adolescentes (11 a 18 anos de idade) e adultos (20 anos) foram responsáveis por uma proporção crescente de casos de coqueluche.

Durante 2001-2003, a incidência anual da coqueluche entre as pessoas com idade entre 10 a 19 anos aumentou de 5,5 por 100.000 em 2001 para 6,7 em 2002 e 10,9 em 2003. Em 2004, cerca de 60 por cento dos casos de coqueluche ocorreram em pessoas de 11 anos de idade e mais velhos.

               

One comment


  1. GOSTEI MUITO…TEM UM CASO DESSA DOENÇA EM MINHA FAMÍLIA MEU SOBRINHO DE UM MÊS DE NASCIDO É MUITO BOM TER MAIS INFORMAÇÕES.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *