web analytics

Reduzindo os Riscos com Ações e Opções

     

Aprenda a calcular o potencial de risco em ações e posições de opções, para descobrir como as opções podem trabalhar a seu favor. Se você quiser usar alavancagem a seu favor com opções, você deve saber quantos e quais contratos comprar.

Muitas pessoas acreditam erroneamente que as opções são os investimentos mais arriscados do que as ações. Isso decorre do fato de que a maioria dos investidores não compreende totalmente o conceito de alavancagem.

Alavancagem: O que é alavancagem?

Para um breve registro, a alavancagem tem duas definições básicas aplicáveis à negociação de opção. A primeira define como alavancar o uso da mesma quantidade de dinheiro para capturar uma maior posição. A quantidade de reais investida em um estoque de ações e o mesmo valor em reais investido em uma opção que não equivale ao mesmo risco. A segunda definição caracteriza a alavancagem como manter o mesmo tamanho de posição, mas gastando menos dinheiro com as opções.

Esta é a definição de alavancagem que um investidor consistentemente bem planejado incorpora em seu quadro de referência. Esta é a definição que os investidores devem agora compreender e abraçar.

 

Um pequeno exemplo sobre alavancagem em Opções

Reduzindo os Riscos com Opções

Reduzindo os Riscos com Opções

Você pode acreditar se você investir R$ 10.000 em ações, você faria um bom negócio se investisse dos R$ 10.000 também R$ 1.000 em opções. Afinal de contas, investindo R$ 1.000 em uma opção de 10 reais lhe permitiria comprar 100 contratos e controlar com equilíbrio seu quadro de ações.

É fácil ver a disparidade óbvia aqui e nossa ganância sempre está buscando um maior potencial de lucro. Infelizmente, a maioria dos investidores não consegue ver a importância de controlar o risco.

O problema é que não há outra disparidade aqui para além da óbvia diferença no número de ações que um investidor pode controlar. Esta disparidade não é tão facilmente vista pelos investidores cegos pela ganância.

O comércio de opção tem muito a ver em comparação com o comércio de ações. Com o comércio de ações, todo o seu dinheiro investido pode ser perdido se for direcionado em um papel errado, porém se for investido 10% desse valor em opções poderá lhe dar menos dor.

No entanto, se usado corretamente, as opções podem ter menos risco do que uma posição equivalente de ações em estoque.

Claramente, existe um risco de grande disparidade entre os que possuem o mesmo valor em R$ de ações ou opções. Esta disparidade de risco existe porque a definição adequada de alavancagem foi aplicada de forma incorreta para a situação.

Para corrigir este problema, vamos passar por cima de duas formas alternativas para equilibrar a disparidade de risco, mantendo as posições igualmente rentáveis.

 

Cálculos de risco convencionais

O primeiro método que você pode usar para equilíbrio da disparidade de risco é o padrão experimentado e verdadeiro caminho didático. Vamos voltar ao nosso comércio de ações para analisar como isso funciona:

Ao comprar as opções, você pode gastar menos dinheiro, mas ainda controlar o mesmo número de partes em ações. O número de opções é determinado pelo número de ações que poderiam ter sido comprados com o seu capital de investimento.

Por exemplo, vamos supor que você decidiu comprar 1.000 ações da Vale do Rio Doce por 41,75 por ação, por um custo de R$ 41.750,00. No entanto, em vez de comprar somente as ações por R$ 41,75, você poderia também comprar 1000 opções (in-the-money) por R$ 1.630,00.

Esta opção tem um Delta 86, o que significa que ela irá simular o desempenho do estoque de ações para 86%. Se a ação é negociada acima de um valor, a opção irá aumentar o seu valor por oitenta e seis centavos.

A opção de compra irá fornecer um rendimento muito bom no total de capital. Isto representa uma poupança total de R$ 25.450,00, ou cerca de 60% do que você poderia ter investido em ações da Vale, acrescido na compra das opções.

 

Ser oportunista

Essa economia de R$ 25.450 poderia ser usada de várias maneiras. Primeiro, pode ser usado para aproveitar outras oportunidades, proporcionando-lhe uma maior diversificação. Outro conceito interessante é que essa poupança extra, poderá ficar na sua conta ou ganhar as taxas do mercado Bancário.

Você está agora, em certo sentido, coletando um dividendo de uma ação vendo um desempenho muito semelhante (86%) da sua posição de opção em relação ao movimento do estoque de ações. O melhor de tudo, tudo isso pode ser feito usando menos de um terço dos fundos que você teria usado se tivesse comprado as ações.

 

Alternativa de cálculo do risco

A outra alternativa para balanceamento de custos e disparidade de tamanho é baseado no risco. Iremos nos referir a isso como “cálculo de Ron risco.”

Como você aprendeu, a compra de R$10.000,00 em ações não é o mesmo que comprar R$ 10.000,00 em opções em termos de risco global. Na verdade, o dinheiro investido nas opções gera um risco muito maior devido ao potencial de uma grande perda, mesmo quando se controlam um número menor de ações.

A fim de nivelar o campo de jogo, portanto, você deve equilibrar o risco e determinar o risco de ter uma posição de opção equivalente em relação à posição de ações, digamos 10% das ações.

 

Posicionar o seu estoque

Vamos começar com a sua posição de ações: compra de 1.000 ações a R$ 41,75 para um investimento total de R$ 41.750,00. Sendo o risco do investidor consciente, vamos supor que você também introduziu uma ordem stop-loss, uma estratégia prudente, que é recomendado pela maioria dos especialistas de mercado.

Você define sua ordem de paragem a um preço que irá limitar a sua perda a 20% do seu investimento, que é R$ 8.350,00 de seu investimento total de 41.750. Assumindo que esta é a quantidade que você está disposto a perder na posição, isso também deve ser o valor que você está disposto a gastar em uma posição de opção.

Em outras palavras, você só deve gastar R$ 8.350,00 em opções de compra. Dessa forma, você só tem a mesma quantia de dinheiro em risco na posição de opção como você estava disposto a perder sua posição de ações. Esta estratégia equaliza o risco entre os dois potenciais investimentos.

Se você deixou ordens de parar, isso não irá protegê-lo das possíveis lacunas. A diferença com a posição de opção é que uma vez que o estoque de ações ficou abaixo da quantidade de ações que você possuía, você já perdeu tudo o que você poderia perder, daquilo que você gastou comprando as chamadas opções.

No entanto, se você possui o estoque de ações, você pode sofrer prejuízos ainda maiores pois você está coberto. Neste caso, se ocorre um grande declínio, a situação torna-se menos arriscada do que a posição de estoque das ações. No caso das opções você garantiu uma reserva de cobertura e o prejuízo diminui.

 

Outras opções

No entanto, digamos que em vez de comprar 1000 ações, você compra 5000 opções. Agora o seu cenário muda drasticamente o risco, quando você compra uma opção, você só está arriscando a quantidade de dinheiro que você pagou pela opção. Assim, você só vai ter perdido o valor das opções caso o valor do mercado decline.

Quando usado desta forma, as opções são realmente menos arriscadas do que as ações, se o mercado subir é lucro.

Voltando ao nosso exemplo da Vale, agora vamos fazer a nossa opção de compra com a quantidade adequada de fundos, conforme determinado pelo cálculo do risco de Ron. Tenha em mente que a escolha da opção correta (mês e vencimento) é também essencial para esta estratégia. Por agora, vamos olhar para um in-the-money, com um delta de cerca de 80-85.

Vamos supor que você acredita que o movimento de subida da Vale vai acabar no próximo mês e que pretende escolher um mês de vencimento, que corresponde ao período para você  antecipar o movimento, isso poderá lhe trazer mais tranqüilidade pois você estará coberto pelas ações compradas.

 

Conclusão

Seja utilizando um cálculo de risco convencional ou cálculo de Ron Risco, que determina a quantidade adequada de dinheiro que você deve investir em uma opção, isso irá permitir que você use o poder de alavancagem que as opções podem fornecer, mantendo um equilíbrio entre o risco total da posição de opção sobre uma posição de ações correspondente.

Mais uma vez, é recomendado estudar bastante sobre as travas de alta e travas de baixa para não ser surpreendido pelo mercado.

Boa sorte e bons negócios.

Deixe seu Comentário »